quinta-feira, 1 de novembro de 2018

"Outono é outrɑ primɑverɑ, cɑdɑ folhɑ umɑ flor"

© Albert Camus

Arte© Claude Monet


Quando anoitece

Quando Anoitece

Quando anoitece
contorno no meu rosto
o perfil do dia que passou
e tudo o que não sou
me contradiz.
Quando anoitece
atravesso um labirinto
caiado de paixão,
pretexto circular
da minha fé.
Quando anoitece
faço emergir do abismo
um instinto quase secreto
e fujo da noite,
em vertiginosa simetria com o vento,
como se fosse um equívoco
esperar a madrugada
com a mesma lentidão
de um acto íntimo.
Contra um muro branco
esta lonjura gémea do vento.
Uma casa ou um regaço
alternando a desordem
de corpos molhados
numa dicotomia simulada
quando o prazer
é o reflexo nítido
de um coágulo de azul
queimado sobre madrepérolas.
São corais que no fundo da água
não quebram as vagas silvestres.
Nasci agora
enquanto uma andorinha
baloiçava no espelho
atravessado de pólen.
Sou, sílaba por sílaba,
o luto ou a negação
de desumanos deuses.
Quando anoitece ...

© Graça Pires

Arte © Shiro Kasamatsu


segunda-feira, 3 de julho de 2017




O velho e a flor
Por céus e mares eu andei
Vi um poeta e vi um rei
Na esperança de saber o que é o amor 
Ninguém sabia me dizer
E eu já queria até morrer
Quando um velhinho com uma flor assim falou
O amor é o carinho
É o espinho que não se vê em cada flor
É a vida quando
Chega sangrando
Aberta em pétalas de amor
© Vinicius de Moraes, Toquinho, Luis Enrique Bacalov
Arte © Alessandro Granata



sexta-feira, 10 de março de 2017

Chamo-Te


Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio
E suportar é o tempo mais comprido.
Peço-Te que venhas e me dês a liberdade,
Que um só dos teus olhares me purifique e acabe.
Há muitas coisas que eu quero ver.
Peço-Te que sejas o presente.
Peço-Te que inundes tudo.
E que o teu reino antes do tempo venha.
E se derrame sobre a Terra
Em primavera feroz precipitado.

© Sophia de Mello Breyner Andresen

Arte © Filippo Palizzi